fbpx
Pago Quando Puder
pix-como-funciona

PIX: O Que é e Como Ele Funciona Na Prática?

O PIX foi apresentado como um método de pagamento instantâneo que permite a realização de transações financeiras com a mesma rapidez e facilidade com a qual enviamos uma mensagem pelo celular. 

Você já conhece a novidade?

Quando o assunto é dinheiro, é normal a gente ficar com um pé atrás assim que surge uma novidade. Afinal, queremos saber como funciona, se é seguro, se vai valer a pena e tudo mais.

Sabendo disso, reunimos todas as informações que você precisa para conhecer melhor o PIX, que estará disponível a partir de novembro de 2020. Continue a leitura e saiba mais!

O que é e qual o objetivo do PIX?

Criado pelo Banco Central (BC), o PIX é um meio de pagamento instantâneo criado para permitir que transações financeiras sejam feitas em apenas 10 segundos. 

A promessa é grande: acabar com TEDs, DOCs e até com a bandeira dos cartões!

Agilidade é a palavra de destaque sobre o que esse novo método tem a oferecer. Poderemos fazer um PIX para efetuar pagamentos ou transferências em qualquer dia da semana, entre quaisquer bancos, inclusive aos sábados e domingos, e também em feriados. Tudo isso sem limite de horários, ou seja, o PIX funciona 24 horas.

A movimentação acontece na hora. Essa é uma das razões pela qual o PIX tende a “acabar” com sistemas já bastante conhecidos, como TEDs e DOCs, que funcionam apenas em dias úteis.

Com isso, o principal objetivo do PIX é tornar a rotina de movimentações bancárias menos burocrática, o que significa trazer mais praticidade para o dia a dia de qualquer pessoa que tenha uma conta bancária.

Como surgiu a ideia do PIX?

O PIX foi anunciado pelo Banco Central em 19 de fevereiro de 2020. O sistema pode ser considerado inovador, inclusive porque ainda não é usado por potências como os Estados Unidos e a China.

Sendo assim, o Brasil está “na frente” do uso de uma tecnologia como o PIX. Apesar disso, não podemos dizer que se trata de uma total novidade ou que o BC está por trás da criação desse meio de pagamento instantâneo.

A verdade é que os pagamentos e transferências sem interferência de terceiros já são oferecidos por algumas fintechs, permitindo que o dinheiro seja enviado diretamente de uma conta para a outra.

Como o PIX funciona?

A ideia do PIX é conectar pessoas, bancos tradicionais e digitais, fintechs e varejistas por meio de um sistema único, o que simplifica muito as movimentações, que vão ocorrer como se as partes envolvidas se comunicassem diretamente e de forma instantânea.

Passando rapidamente por questões técnicas, o funcionamento do PIX é similar ao de uma conexão peer-to-peer (P2P).

Falando em bom português, as movimentações são assim:

  1. De seu dispositivo, você utilizará o aplicativo PIX para informar os dados do recebedor (nome completo, CPF/CNPJ, instituição bancária, número da conta e agência);
  2. Você digitará a chave PIX, que identifica o valor a ser transferido. Essa chave pode ser o número de celular do recebedor, seu e-mail, CPF ou CNPJ. Um QR Code também pode servir de chave;
  3. A pessoa ou empresa para a qual você enviar o valor receberá a quantia em questão de segundos.
funcionamento-do-pix

Fonte: Adaptado do G1

Vale dizer, no caso de movimentação feita por QR Code, que bastará fazer a leitura do código usando o celular para que o pagamento ou transação aconteça.

A ideia é transformar pagamentos ou transferências em algo tão simples e rápido quanto enviar uma mensagem

Veja o que explica Alexandre Pinto, diretor da Matera, empresa envolvida na criação do PIX:

“A base tecnológica utilizada tem como fundação o envio de mensagens. Então, as transações financeiras que vão acontecer serão baseadas em mensagens enviadas de um participante para outro, podendo ser de pagamento, de cobrança, de registro de usuário, um catálogo de diversos registros de mensagens diferentes”.

É interessante dizer que o PIX poderá ser usado:

  • para pagamentos e transferências de pessoa para pessoa;
  • entre pessoas e estabelecimentos comerciais;
  • entre estabelecimentos;
  • para pagamentos feitos a entidades governamentais (impostos e taxas).

O que é a chave PIX?

A chave PIX é a forma de identificar uma conta bancária que esteja envolvida na transação. Cada pessoa pode cadastrar quatro chaves PIX a uma conta: CPF ou CNPJ, e-mail, número de celular ou uma chave aleatória.

Pessoas físicas poderão cadastrar até cinco chaves PIX por conta, enquanto pessoas jurídicas poderão cadastrar até 20. Esse cadastro deverá ser feito junto às instituições nas quais você tem conta.

Em todo caso, se você usar o CPF como chave em uma conta, não poderá utilizá-lo como chave em outra conta.

Sobre o QR Code do PIX

Para que um pagamento ou transferência com o PIX seja feito a partir de um QR Code, será preciso que os usuários consigam criar esses códigos. A forma como isso deve acontecer ainda está em definição e será divulgada.

Principais vantagens do PIX

Para saber o que é o PIX de verdade, nada mais justo que você conheça características atreladas a esse método de pagamentos e, ainda melhor, saiba quais são suas vantagens.

Nos baseamos nas informações que foram divulgadas diretamente pelo Banco Central. Veja só!

Disponibilidade 

Como comentamos antes, as movimentações instantâneas poderão ser feitas 24 horas por dia, sete dias por semana, incluindo finais de semana e feriados.

É interessante lembrar que, além de funcionarem só em dias úteis, TEDs e DOCs têm limites de horário. Esse prazo varia de uma instituição bancária para a outra, o que exige que a gente precise de atenção para não se atrasar com os compromissos financeiros.

Com o PIX, esse problema que muitos de nós já vivemos, deixará de existir! Dê ADEUS aquela corrida para a agência bancária lotada durante o horário de almoço. Enfim, não é?

Velocidade

Outro ponto que já mencionamos é que com o PIX as movimentações serão rápidas, acontecendo “em tempo real”, tendo no máximo 10 segundos para serem concretizadas.

Tenha isso em mente considerando não apenas os pagamentos ou transferências que você vai fazer, mas a possibilidade de receber o que te é devido com a mesma rapidez e praticidade.

Em contrapartida, quando um TED é feito, ele pode demorar mais para cair na conta de quem deve recebê-lo, o limite é de até 30 minutos. Já a transferência do tipo DOC é compensada na virada do dia, ou seja, o valor é recebido no dia seguinte (se for dia útil).

Conveniência

O Banco Central promete que a experiência de uso deve ser intuitiva, ou seja, deve contar com uma funcionalidade nos aplicativos que facilite a experiência do usuário.

Isso faz todo sentido, não acha? O PIX não tem como cumprir a ideia de menos burocracia, mais facilidade e rapidez se seu uso for complicado.

Isso, por si só, já seria um ótimo benefício: não ter que ir em agências físicas para fazer transferências.

Segurança

O Banco Central informou que as movimentações por PIX são baseadas na Rede do Sistema Financeiro Nacional (RSFN), e a segurança conta com tecnologias inovadoras de proteção de dados.

A segurança é sempre uma preocupação quando o assunto é dinheiro, especialmente em pagamentos e transações feitas no mundo digital. Infelizmente, é natural a expectativa de que tentativas de invadir o sistema do BC sejam feitas por pessoas mal-intencionadas, mas isso não significa que o PIX não é confiável.

Os bancos que oferecerão o PIX precisam contar com mecanismos extras e confiáveis de proteção. Na outra ponta, para manter os usuários seguros, são as empresas participantes que devem investir para reforçar sua segurança.

Com isso, ainda que riscos sejam inevitáveis, é de interesse dos envolvidos que o PIX seja cada vez mais seguro. Do contrário, a ideia de inovar o sistema de pagamentos do país não dá certo.

Veja também: Como proteger seu CPF dentro e fora da internet.

Ambiente aberto

O PIX tem estrutura flexível e é aberto à participação. Em outras palavras, isso significa que não são apenas os bancos, sejam eles tradicionais ou digitais, que poderão usar o novo método de pagamento.

Como dissemos anteriormente, as movimentações instantâneas também estarão disponíveis para financeiras, fintechs e outras instituições.

Exemplo: se você tem uma loja e tem clientes que vivem pedindo pra pagar fiado pois não possuem cartão de crédito, ou porque por algum motivo o cartão não passou, seus problemas estão resolvidos (risos). Com o PIX, nada disso será um problema, pois você poderá usá-lo no seu estabelecimento.

Limite para o valor das transações no PIX

Outro ponto interessante entre as características do PIX que se traduz em vantagens para os usuários é que não há limite para o valor das movimentações.

Isso vale para transações e pagamentos que sejam feitos entre pessoas, de pessoas para empresas, entre empresas ou nas movimentações direcionadas a entidades do governo.

Quanto a isso, lembramos que TEDs também não têm limite, mas DOCs só permitem transferências de até R$ 4.999,99. Com isso, se você deve pagar um valor superior a esse, pode precisar fazer vários DOCs caso não opte pelo PIX ou outra alternativa.

Livre de custos pros usuários

Ainda faz parte da sua vida sonhar que a pessoa a quem você precisa fazer uma transferência tenha conta no mesmo banco?

A gente fica feliz quando a isso acontece porque muitas instituições cobram taxas para que o correntista transfira dinheiro a outra pessoa ou a uma empresa. De fato, alguns bancos mais modernos, como o Inter, já abandonaram essa cobrança, mas isso ainda não é regra.

O PIX não terá custos para os usuários, ou seja, você fará pagamentos e transações sem pagar nenhum valor além do que precisa enviar à outra pessoa ou empresa, independente de qual banco seja.

Alternativa aos boletos

Por fim, destacamos que o PIX funcionará como uma alternativa bem interessante aos boletos.

Isso porque boletos têm custos para quem os emite, além de restrições com relação ao uso e aos dias para fazer o pagamento. Há um prazo, em geral, de até três dias úteis para que o dinheiro caia.

Sendo assim, com sua rapidez e praticidade o PIX pode acabar “aposentando” o pagamento via boleto bancário ou, ao menos, tornando esse meio menos comum.

Conclusão

Por ser uma novidade, o PIX pode tanto gerar certa desconfiança quanto expectativa. A tecnologia é inovadora e promissora e, com isso, vencido o período de adaptação, podemos mesmo estar diante de um sistema capaz de facilitar consideravelmente nossas vidas!

Gostou do post? Assine nossa newsletter e receba os melhores conteúdos de finanças direto em sua caixa de e-mails!

Larissa Reis

Larissa Reis

Deixa que eu escrevo! Como jornalista, sempre acreditei no poder da comunicação bem feita para compartilhar informações relevantes, e é para isso que produzo conteúdo!

Deixe aqui o seu comentário

Dá aquele like!

Curta nossas páginas nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades do Pago Quando Puder!

Receba as novidades!