fbpx

>

>

O que é taxa Selic? Aprenda agora!

O que é taxa Selic? Aprenda agora!

Tempo de leitura: 3 minutos

Com a explosão de contas correntes remuneradas e de produtos financeiros digitais é bem provável que você já tenha ouvido falar na Selic, certo? Mas o que é taxa Selic, afinal?

Antes de entender o conceito, uma dica amiga: mesmo que você ache complexo entender os indicadores do mercado financeiro, é preciso compreendê-los para saber como questões simples do dia a dia, como pagar uma conta atrasada, são impactadas.

Mas é possível aprender sobre a taxa básica de juros (a Selic) de forma simples, como vamos mostrar aqui. Você vai conferir como a Selic funciona e como ela é aplicada nos principais serviços financeiros. Aproveite a leitura para ficar por dentro!

Como funciona e para que serve a taxa Selic?

Selic significa “Sistema Especial de Liquidação e de Custódia”. Ela representa a taxa básica da economia no país e é controlada pelo Banco Central do Brasil. Dentro do BC existe o Copom (Comitê de Política Monetária), que é um órgão responsável por definir o valor dessa taxa — que é alterada várias vezes no ano —, entre outras ações.

Sendo o principal instrumento monetário para controlar a inflação, a Selic influencia todas as outras taxas de juros, como as de empréstimos, financiamentos e do rotativo do cartão de crédito, entre outras. 

Mas por que ela existe? 

Pode ser um pouco complexo entender o mercado financeiro no primeiro momento, porém, para a economia funcionar de forma organizada e regulada, visando direitos e deveres de cidadãos e empresas, o Copom estabelece alguns critérios importantes. E a Selic é um desses instrumentos de regulação.

Imagine se não existisse um indicador a ser seguido e os bancos e outras instituições financeiras praticassem as taxas de juros que bem quisessem? Além da desorganização geral, certamente, haveria muitos casos de práticas abusivas.

Por isso, de acordo com a inflação e de outros movimentos do mercado, o Banco Central define metas mensais e anuais para a Selic. Em outubro de 2021, por exemplo, a taxa está em 6,25%, com meta para encerramento do ano em 7,25%, de acordo com especialistas.

Como saber qual é a taxa Selic no dia?

Sempre que for preciso consultar a taxa da Selic, dê preferência para conferir diretamente no site do Banco Central, pois é a principal e mais confiável fonte de informação no que diz respeito a esse assunto.

Quais as principais aplicações da taxa Selic?

Quanto mais alta a Selic, mais altos os juros tendem a ser cobrados nas transações financeiras. Isso porque, com o fato de a inflação estimular o aumento da Selic, o mercado como um todo também é influenciado. 

Nesse sentido, as instituições financeiras podem aumentar ou diminuir suas respectivas taxas à medida que a Selic tem elevação ou redução. Veja como funciona em cada tipo de serviço financeiro.

Financiamentos e empréstimos

Um ponto positivo de quando a Selic está mais baixa é seu reflexo na contratação de financiamentos e empréstimos. Com juros menores, os bancos também pagam menos ao Banco Central e, com isso, podem praticar taxas mais atrativas aos clientes. 

Com os clientes contratando serviços a juros menores, a economia tende a ser estimulada. De certa forma, isso é vantajoso para todos, já que o custo de captação de novos clientes também é reduzido para as instituições e mais pessoas conseguem realizar seus projetos pagando menos juros.

Juros por atrasos de pagamentos

O outro lado da moeda também é percebido tanto pelos bancos quanto pelos consumidores quando a Selic está em alta. Isso acontece, pois quando há atrasos em pagamentos de faturas, por exemplo, essas organizações também devem reaver os prejuízos sob o mesmo percentual em que a taxa se encontra.

Investimentos

A taxa Selic também influencia diretamente os investimentos de renda fixa — aqueles em que, geralmente, o investidor já sabe quanto vai receber ao final do prazo. Por serem opções de investimentos mais seguras, costumam ser as que remuneram menos, mas também são as mais acessíveis à população.

Porém, a Selic funciona de forma diferente em relação às vantagens para quem faz financiamentos e empréstimos, por exemplo, e para quem faz investimentos atrelados a essa taxa básica. 

Acontece que, para os investidores, quanto menor a Selic, menor será o rendimento do dinheiro aplicado, já que o produto também renderá de acordo com a taxa vigente. 

A título de exemplo: em 2016, a Selic alcançou um de seus maiores patamares — 14,25% — e esse período foi vantajoso para quem investia em renda fixa, pois a rentabilidade estava atrelada a esse valor. Em 2021, os rendimentos podem não apresentar ganhos tão atrativos quanto os do período anterior.

No entanto, mesmo que renda menos que as opções de renda variável, esse tipo de investimento é seguro e costuma render mais do que a poupança.

Viu o que é a taxa Selic e como ela influencia nosso dia a dia, mesmo sem a gente se dar conta disso? Por isso, é importante estar sempre por dentro das taxas praticadas pelo mercado para não dar bobeira com as dívidas e aproveitar as melhores opções em investimentos.

Se este conteúdo te ajudou a entender aspectos importantes para a vida financeira, que tal se inscrever no Clube do Corre e conferir outras dicas úteis? A inscrição é gratuita e, ao se cadastrar, você recebe, diretamente na sua caixa de e-mails, conteúdos que vão te ajudar a lidar melhor com seu dinheiro!

Tags relacionadas

Aline Oliveira

Jornalista formada pelo UniBH, com especialização em Marketing Digital. Adora conversar sobre economia, finanças, investimentos, empreendedorismo e carreira.
ilustração de envelope com 1 notificação

Participe do Clube do Corre

E receba lembretes semanais sobre tudo o que impacta o seu bolso! É de graça:

    Compartilhe

    Compartilhar no facebook
    Compartilhar no whatsapp
    Compartilhar no email
    Compartilhar no linkedin
    Compartilhar no twitter
    Compartilhar no pinterest

    Você pode gostar também