Pago Quando Puder
Como conseguir os melhores descontos para negociar suas dívidas

Como conseguir os melhores descontos para negociar suas dívidas

Você já deve ter lido este número no blog, mas não custa nada repetir: 60 milhões de brasileiros estão negativados. Ou seja, numa mesa com mais 3 amigos, pelo menos um está com o nome no SPC ou Serasa. 

Se você se encontra nesta estatística, saiba que é mais possível do que parece quitar uma dívida. Isso porque é de interesse dos dois lados — de quem deve e também a quem você está devendo — mudar esse cenário.

Por isso as empresas colocam opções de pagamento, descontos e muitos outros benefícios para quem está disposto a negociar. 

E nós levantamos algumas dicas para que você consiga fazer isso também!

Planeje antes de pagar

O primeiro passo para quitar uma dívida é realmente poder pagar por ela. E é aí que gente começa errado.

Muitas pessoas negociam e até começam a pagar. Mas por não terem organizado as contas antes de começar, se embolam no meio do caminho e acabam quebrando, o que é tão ruim quanto não ter negociado.

Por isso é importante colocar as contas na ponta do lápis e entende, por exemplo:

  • Qual é o valor atualizado da dívida — com juros e correções;
  • Quanto você pode pagar por mês;
  • De até quantas vezes você está disposta a pagar.

E em cima disso, você pode tomar os próximos passos.

Converse com a empresa que você deve

É de interesse do seu gerente, ou credor (a empresa que você deve) que o relacionamento entre a instituição em que ele trabalha e você seja o melhor possível. Afinal, além de os clientes são o combustível das empresas, ele precisa bater uma meta. 

Portanto, não o trate como inimigo. 

Converse diretamente com ele, apresente com clareza os motivos pelo qual você não conseguiu quitar as suas dívidas até então, e peça que ele lhe apresente uma proposta de negociação. 

O relacionamento positivo com certeza renderá bons frutos a você. Caso a proposta que ele te apresente não seja atrativa, estude os pontos que te preocupam e faça uma contraproposta.

Importante: durante as conversas com o seu gerente, sugira apenas soluções que caibam no seu orçamento. Não aceite tudo o que ele propor e menos ainda por impulso.

Tente negociar online

Depois de conversar com o seu gerente, conheça as outras opções de negociação que você tem disponíveis. Uma delas são as plataformas online.

A grande vantagem da negociação online é que ela representa menos custos para o banco ou serviço. E com isso, ele pode te dar mais opções de pagamento e melhores condições.

Além disso, na negociação online você consegue ter ainda mais controle sobre a forma de pagamento.

Em plataformas como a da Meu Acerto, você pode escolher o valor da parcela, a data de vencimento, se quer ou não dar uma entrada, de quantas vezes quer dividir… e com isso tem mais flexibilidade para encontrar uma parcela que caiba no seu bolso.

Fora a possibilidade de negociar quando e de onde quiser, sem ligações constrangedoras.

Pague à vista 

Quase sempre, pagar a vista nos dá os melhores benefícios e os maiores descontos. 

Para uma empresa, receber a vista significa dinheiro rápido em caixa e grande diminuição de carga tributária. Ou seja, negociar um pagamento a vista é do interesse deles e pode te render um super desconto. 

Mas como a gente sabe que nem sempre dá para pagar de uma vez só, temos outro caminho para você, no exemplo seguinte.

Avalie a possibilidade de pegar um empréstimo

Se você não tem todo o dinheiro no primeiro momento, uma boa estratégia é calcular os riscos e os juros de pedir um empréstimo para quitar a dívida. 

Para exemplificar:

Imagine que você deve R$1000,00 para um banco. E com juros, o valor passou para R$1100,00.

Se o desconto para pagamento à vista é de 30%, sua dívida cai para R$770,00 e você economizaria R$330,00 reais.

Por outro lado, pagando a vista, com os juros de refinanciamento — para quem paga a prazo — o valor chegaria a R$1500.

Do outro lado, pegando um empréstimo você pega exatamente R$770,00, o valor que precisa para pagar a vista, e com os juros da mensalidade, vai pagar no total a empresa que te emprestou dinheiro, R$900,00 reais.

Ou seja: você trocou uma dívida cara por uma barata, e agora só precisa pagar as parcelas do empréstimo em dia, sendo que pagando em dia você não terá mais acúmulo de juros.

Contudo, é importante lembrar que para pedir um empréstimo é fundamental que você tenha se preparado com antecedência. Calcule bem as condições, compare o valor final e caso o empréstimo seja mais vantajoso, se programe para pagar nas datas acordadas

Dê uma entrada

Se você não tem dinheiro imediatamente e está em uma situação onde não compensa pegar um empréstimo, tente dar uma boa entrada.

Assim você diminui juros, valor das parcelas, pode pagar de menos vezes e se livra do problema ainda mais rápido, além de poder contar com um descontinho por estar dando uma boa entrada.

Por isso, entenda quanto você pode pagar, deixe claro a quantia que você tem naquele momento para dar de entrada e negocie até encontrar um cenário que você consegue pagar!

Pague o quanto antes 

Lembre se, acima de tudo, que juros e multas se acumulam com o tempo e o efeito bola de neve pode piorar muito a sua situação. 

Para evitar que isso aconteça, priorize o pagamento das dívidas mais antigas e com maior taxa de juros

Carol Andrade

Acredito na comunicação como maior instrumento educacional. Por isso, como jornalista, amo consumir e criar conteúdo para ajudar a democratizar as informações.

Deixe aqui o seu comentário

Dá aquele like!

Curta nossas páginas nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades do Pago Quando Puder!

Receba as novidades!