Pago Quando Puder
Gastar mais do que ganha

Por que eu gasto mais do que ganho?

Pergunta difícil, não é?

Mas a resposta pode ser justamente o que você precisa entender para reverter esse cenário e ter uma vida financeira mais saudável. 

E os motivos são diversos — e talvez você se encaixe em mais de um deles. Mas, ao final, nós também listamos algumas dicas que podem te ajudar a mudar esse cenário.

Você não planeja suas compras

Um bom planejamento é aliado de qualquer compra bem-sucedida. Seja para pequenas coisas do dia a dia ou para grandes compras, tudo precisa ser planejado antes

Se você planeja, por exemplo, o cardápio da semana, faz compras mais direcionadas e evita gastar dinheiro com produtos que você não vai usar.

E se você planeja a compra de um grande produto, como uma geladeira, consegue se organizar financeiramente, pesquisar os melhores preços, e com isso não compromete mais dinheiro do que poderia.

Você parcela muitas coisas

O parcelamento no cartão de crédito é um ótimo recurso, mas se bem utilizado. 

Porque, no final, o valor gasto com o cartão não precisa — nem pode — ser o seu limite, ou somar um valor maior do que o que você pode pagar. Por mais que a parcela de cada um dos ítens pareça um valor baixo.

E muitas vezes essas coisas se confundem, você esquece de somar o valor de todas as compras que fez parceladas e se assusta com a fatura do cartão.

O seu limite do cartão é maior do que deveria ser

Talvez você não esteja em um momento em que pode ter um cartão com limite muito alto, por ceder a tentação e acabar comprando mais do que deveria — ou do que dá conta de pagar.

Outro problema comum é até ter um limite baixo — já que eles são liberados também de acordo com a nossa renda — mas para compensar você tem 2… 3… 4 cartões!

Uma coisa que ajuda a manter o controle é não ter o recurso disponível. Por isso, talvez seja a hora de pensar em eliminar alguns dos seus.

Você pensa “mas é só R$10,00”

Essa é clássica. 

Você gasta R$15 em um uber… mais R$10 em um uber… outros R$20 em uma blusinha… e quando percebe, a conta já soma metade do seu dinheiro!

Por isso tenha atenção tanto na fatura do seu cartão quanto no saldo da sua conta, e lembre-se que a justificativa de que o preço é baixo não é suficiente para te ajudar a economizar. 

Muito pelo contrário: ela te faz gastar muito dinheiro!

Você se deixa levar pelo marketing

Às vezes nós nos esquecemos, mas as propagandas, anúncios, e influenciadoras existem por um motivo: nos fazer gastar.

E muitas pessoas são convencidas por esses artifícios e acabam fazendo compras desnecessárias ou escolhendo marcas por escolher, e não pela qualidade do produto.

Você tem bons argumentos emocionais

Pensamentos como “Eu mereço porque estou triste; Estou feliz e preciso comemorar; Só se vive uma vez” são péssimos para pessoas endividadas e que precisam organizar as finanças. 

Essas são, na verdade, desculpas que damos para nós mesmos para justificar nossos gastos, quando não existe motivo aparente para eles. 

Ok, mas como sair desse ciclo?

O primeiro passo você já deu, que é reconhecer o problema. Se você chegou até aqui é que, mesmo que bem lá no fundo, quer mudar esse ciclo e passar a ter uma relação mais saudável com o dinheiro.

Para isso, nós temos algumas dicas — que são basicamente fazer o contrário de tudo o que nós listamos — com ações práticas e que vão te ajudar a construir um pensamento lógico antes de gastar.

Estabeleça um limite pessoal de gastos no cartão

Se você não quiser pedir ao gerente para reduzir o limite de crédito para você, determine um valor máximo para gastos por mês e realmente não ultrapasse.

Pense em todas as consequências negativas que o endividamento já te causou: nome sujo, insônia, estresse, talvez até brigas com seus pais, amigos ou cônjuge.

Outra opção é deixar o cartão em casa o máximo que puder. Isso evita a tentação de comprar coisas não planejadas e gastar demais.

Só compre parcelado o que realmente precisa

O parcelamento é uma forma de facilitar o pagamento de produtos de alto custo, que prejudicariam o seu orçamento ou seriam impossíveis de ser comprados com a sua atual situação financeira. 

Especialmente se você é uma pessoa com pouco controle sobre os seus gastos no crédito.

Avalie bem e, se realmente for preciso comprar parcelado, aproveite e se inscreva em um programa de fidelidade ou de milhas, com os quais você tem algum retorno ao utilizar o crédito. 

Reavalie os pequenos gastos

O que geralmente mais assusta as pessoas quando a fatura chega são os diversos valores muito baixos que ela passou, mas que no final somam um montante significativo.

  • Várias corridas de Uber;
  • Pequenos lanches;
  • Compras abaixo de R$20,00;

Quando você percebe, a soma dos valores é assustadora, porque você pensou nelas individualmente, e não como um total.

Por isso repense os seus pequenos gastos que parecem inofensivos, e anote todos para ter controle na proporção que eles têm tomado.

Planeje antes de comprar

A regra maior é: pensar antes de comprar!

Isso porque a maioria dos nossos gastos acabam sendo descontrolados porque são feitos por impulso, e não com planejamento e avaliação da nossa condição financeira.

A melhor forma de fazer isso programando as compras: se esse mês você já fez uma compra de valor alto, avalie o pagamento das parcelas para ver quando é realmente possível comprar outro produto desse tipo.

Além disso, acompanhe a sua fatura do cartão para entender até onde você pode chegar, sem que isso comprometa o seu próximo mês. A ideia é nunca ficar no limite, mas sim com um mínimo de conforto nos pagamentos para poder cobrir emergências.

Vença a tentação do marketing!

As vezes é bem difícil, mas é muito possível vencer os anúncios, promoções e campanhas de marketing.

Uma boa forma de começar é se conhecendo bem: entenda os seus gostos, os seus limites e suas necessidades. E sempre, antes de comprar, cruze essas três informações e tome a decisão de forma consciente;

  • Eu posso comprar isso?
  • Algum aspecto da minha vida vai ficar comprometido com esse pagamento?
  • Eu realmente preciso disso? 

O marketing muitas vezes nos faz comprar coisas que nós nem gostamos ou vamos usar, pelo impulso da compra. Por isso as perguntas podem te ajudar a pisar no freio e fazer compras mais estratégicas.

Trabalhe suas emoções de outras formas

O controle sobre suas emoções será um grande aliado da sua economia, evitando que você gaste mais do que ganha. Por isso, é importante perceber: o que aumenta o seu desejo por comprar?

Os motivos podem ser diversos, mas geralmente são associados com a ansiedade, sendo uma válvula de escape para ela.

E a maneira mais fácil de fazer isso é, parando e pensando na hora de comprar: o que me trouxe até aqui? O que despertou essa vontade? O que eu estou sentindo exatamente nesse momento?

Lais Bolina

Apaixonada por Marketing Digital, aprendeu a lidar com dinheiro na marra, quando começou a se sustentar sozinha aos 21 anos.

1 comentário

Dá aquele like!

Curta nossas páginas nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades do Pago Quando Puder!

Receba as novidades!