Pago Quando Puder
Fintechs

O que são fintechs e o que você pode ganhar com elas?

Empresas de tecnologia surgem todos os dias para facilitar a sua vida. Basta pensar o quanto parecia complicado conseguir um taxi, pedir uma pizza ou pagar contas há alguns anos atrás.

Como consumidores, nós queremos agilidade e praticidade, em todas as áreas, inclusive na nossa vida financeira.

É aí que as fintechs entram: para facilitar a maneira com que as pessoas lidam com dinheiro

Essas empresas apostam na tecnologia para facilitar decisões e necessidades financeiras, e você pode usá-las de diversas formas, para ganhar ou para parar de perder dinheiro.

Mas afinal, o que são fintechs?

Fintechs são empresas especializadas em oferecer serviços financeiros por meio de tecnologia

O próprio nome já nos ajuda a identificar isso: se trata da junção de financial (financeiro) e technology (tecnologia). 

No geral elas trabalham com serviços que nós já conhecemos e contam com algumas novidades, seja na forma ou no custo — que pode ser infinitamente menor.

E além disso, trabalham com serviços 100% digitais, que facilitam muito a nossa vida e descomplicar serviços que antes eram muito cansativos — desde pagar uma conta até pedir um empréstimo.

Fintech é um tipo de startup?

Sim. Startups são empresas focadas em tecnologia e em oferecer modelos de negócios inovadores. 

Costumam ser pequenas, ter poucos funcionários e apostam em formas sustentáveis de crescimento e na desburocratização dos serviços para repassar a custos menores os clientes.

Então, uma fintech é uma evolução de startup voltada para o setor financeiro.

Quais são os tipos de fintechs?

Existem Fintechs voltadas para os mais diversos tipos de serviço e por isso você pode se beneficiar delas em vários aspectos. 

Conheça alguns dos principais modelos:

Empresas de pagamento

Esse segmento é líder em fintechs no Brasil e representa 24% das startups financeiras na América Latina, segundo estudo realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

E estão mais perto do que você imagina: você possivelmente já usou uma maquininha de pagamento da PagSeguro ou da Stone para passar o seu cartão na hora de fazer uma compra. 

Mas além delas, ainda existem sistemas de pagamento online, como a MundiPagg que é usada em diversos e-commerces, como Ponto Frio e Lojas Americanas.

O grande diferencial dessas Fintechs é que, diferente de empresas tradicionais, elas têm custo menor, menos burocracia e costumam ser isentas de taxas. Por isso tantas empresas aderiram tão rápido a elas.

Empresas de criptomoedas

Você já ouviu falar em Bitcoin? Ele é um tipo de criptomoeda, que são moedas virtuais, utilizadas para transações comerciais online.

Há três diferenças básicas entre elas e o dinheiro físico que conhecemos: 

  • O anonimato: para começar a utilizar a moeda, a maioria não solicita informações pessoais do usuário;
  • A descentralização: independem de regulamentação do Banco Central;
  • Custo zero por transação: não há regulamentação de taxas, fazendo com sua utilização seja mais atraente, principalmente em transações internacionais.

No Brasil, uma das mais famosas do ramo é a  FoxBit, que atua no mercado desde 2014.

Empresas de empréstimo

Nesse cenário temos dois modelos: as empresas que emprestam dinheiro e as que emprestam o seu dinheiro e te ajudam a ganhar com isso, como a Biva.

Como elas ainda não contam com regulamentação própria, a maioria delas tem algum tipo de associação com bancos para realizarem suas operações.

Mas a grande vantagem é que com alguns cliques e poucas informações, você pode ter acesso a empréstimos simples e com melhores taxas, sem precisar sair de casa.

Empresas de investimento

Como o mercado de investimentos parece muito complicado e acaba afastando as pessoas, as Fintechs dessa área têm o objetivo de tornar essa prática mais acessível e simplificada.

Elas oferecem tecnologias que ajudam a entender e buscar melhores opções para investimento, com alternativas menos tradicionais, e explicando o passo a passo que você deve seguir.

A Magnetis é uma dessas alternativas para ajudar pessoas que querem investir, mas não são especialistas, e mesmo com pouco dinheiro.

Empresas de negociação

Fintechs desse segmento podem representar algumas das que mais trouxeram comodidade e praticidade para os clientes. 

O objetivo é ajudar consumidores a negociarem suas dívidas online. Ou seja: sem ligações, sem serem invasivas e te dando o controle sobre as negociações.

Além disso, por se tratarem de Fintechs, elas contam com melhores condições de negociação, como menores juros, mais desconto e mais chances de parcelamento.

A Meu Acerto é um exemplo que tem como premissa que a “Liberdade é poder negociar do seu jeito” e pode te ajudar a chegar a um acordo com grandes empresas, como MRV, Banco Inter e a Sky.

Empresas de gestão financeira

São plataformas que disponibilizam serviços para facilitar a vida financeira das pessoas e para que elas possam cuidar melhor do dinheiro delas

De gestão de orçamento pessoal até as ferramentas de contabilidade para empresas, o Guiabolso é uma das fintechs do ramo mais reconhecidas no mercado.

Empresas de financiamento coletivo

São plataformas online para levantar dinheiro de forma coletiva, aproximando as pessoas. Ou seja: você consegue fazer uma vaquinha com várias pessoas que têm o mesmo objetivo que você, para concluir um projeto.

Geralmente são utilizadas para projetos pessoais, sociais e tratamentos de saúde, como o Vakinha, e também para financiamento de projetos culturais, como o Catarse.

Bancos digitais

O grande destaque entre as Fintechs, com certeza, vai para os bancos digitais.

Ele vem como solução para a burocracia e os custos altos que as pessoas têm com os bancos tradicionais, se tornando mais acessíveis e práticos.

Por exemplo: 

  • Eliminando taxas;
  • Funcionando bem de forma 100% online, sem que você precise ir a uma agência;
  • Ajudando pessoas a fazer o dinheiro render de um jeito simples.

Os exemplos não faltam como o banco Original, que atende tanto contas físicas quanto te empresas e já disponibiliza diversos serviços, como empréstimos, cartão de crédito, seguros e investimentos. 

Exemplos de Fintechs que talvez você conheça

Agora vamos te ajudar a entender como essas empresas já estão presentes na sua vida — seja porque você já ouviu falar, viu um anúncio ou mesmo já é cliente.

Nubank

A empresa despontou com o serviço de cartão de crédito sem anuidade, e hoje já conta com vários outros serviços financeiros. 

Para se ter uma ideia, hoje o banco já conta com mais de 10 milhões de clientes no Brasil.

Méliuz

A Meliuz é uma Fintech bem fora da caixa e que conta com um serviço muito diferente: cashback.

Funciona assim: você faz uma compra — seja em lojas físicas ou pela internet — e recebe parte do seu dinheiro de volta, que fica na sua conta e pode ser transferido para o seu banco e usado como você quiser!

PicPay

O app da PicPay simplifica e agiliza as formas de pagamento. Com ele é possível receber e enviar dinheiro para outras pessoas, pagar contas e até fazer recarga para o celular. 

Banco Inter

O Banco Inter é na verdade um mix de Fintech e banco — mas que já tem milhões de clientes físicos e jurídicos. 

Com ele você tem acesso a uma conta sem taxas, cartão de crédito, formas de pagamento simplificadas — através de QR codes, por exemplo — e pode gerar boletos para receber dinheiro de outras pessoas sem que elas tenham que pagar pela transferência.

Toro Investimentos

É a maior Fintech de investimentos do país. Autorizada tanto pelo Banco Central quando pela Comissão de Valores Monetários (CVM), eles já ajudaram mais de 800 mil pessoas a investirem mais de 100 bilhões de reais — e você não leu errado.

Vamos ao que importa: o que você pode ganhar com as fintechs

Já deu para ter uma noção incrível de como se beneficiar das Fintechs, mas ainda existem outras maneiras de conseguir ganhar, guardar ou parar de perder dinheiro através delas.

Negociar suas dívidas

Com empresas como a Meu Acerto, você pode negociar as suas dívidas sem sair de casa, com condições exclusivas, como:

  • Descontos no valor original;
  • Pagamento em até 72 vezes;
  • Isenção de juros;

E diversos outros benefícios. 

Vale reforçar que essas vantagens variam de credor para credor, mas em todos os casos você pode enviar uma proposta com o valor e as formas de pagamento que você pode pagar e torcer para que ela seja aceita pelo sistema, que ainda te dá dicas de como melhorar suas chances!

Ganhar um dinheiro extra

Com a Meliuz e a Beblue é possível realizar suas compras e ganhar parte do dinheiro de volta acumulando pontos em sua conta no app das empresas. 

No caso da Beblue você faz isso em estabelecimentos físicos, e já com o Meliuz o cashback pode vir de supermercados, comércio e também de grandes lojas online como Submarino e Centauro.

Pagar menos — ou nenhuma — taxa

Bancos digitais como o Original e o NuBank surgiram para colocar fim às altas taxas cobradas pelos bancos tradicionais. Por isso, se você ainda paga mensalidade, pode estar perdendo dinheiro!

Ter acesso a crédito

Fintechs como a Bom pra Crédito e Creditas oferecem taxas especiais para quem precisa de crédito. 

Na Credita isso acontece quando você deixa o seu imóvel ou veículo como garantia, e já a Bom pra Crédito compara as condições e suas chances de conseguir empréstimo em mais de 30 empresas. 

Organizar sua vida financeira

Para ajudar no controle dos gastos, app de empresas como o Guiabolso e o Organizze oferecem ótimas soluções práticas para o dia a dia de quem quer se organizar financeiramente.

Eles tem versão gratuita, separam os seus gastos por categoria e te ajudam a ter controle sobre os seus gastos — o que por si só já é um jeito de não gastar mais do que precisa!

Começar a investir

Investir pode ser mais fácil do que parece e existem diversas opções. 

Pode não ser sua realidade hoje, mas é legal saber que essas possibilidades existem. Por isso fique de olho na Órama e Magnetis, que podem ser boas opções para começar.

Mas essas empresas são realmente confiáveis?

As empresas estão se especializando cada dia mais e se firmando com tecnologias de ponta para oferecer, além da agilidade e comodidade, toda a segurança que o cliente precisa. 

Por isso muitas delas possuem sistemas de dados criptografados — os mesmos que os bancos — que protegem suas informações de outras pessoas e garante a sua segurança.

Mas o mais importante é: sempre que for consumir um produto ou serviço, independente de qual seja a empresa, confira o CNPJ junto à Receita Federal. Ela fornece informações sobre a empresa e te assegura se elas são mesmo confiáveis ou não.

Aline Oliveira

Jornalista formada pelo UniBH, com especialização em Marketing Digital. Adora conversar sobre economia, finanças, investimentos, empreendedorismo e carreira.

Deixe aqui o seu comentário

Dá aquele like!

Curta nossas páginas nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades do Pago Quando Puder!

Receba as novidades!