fbpx

>

>

Quem já teve nome sujo consegue financiamento?

Quem já teve nome sujo consegue financiamento?

Tempo de leitura: 5 minutos

Ter o nome sujo na praça, ou seja, ter o nome negativado por não pagar uma dívida, é uma situação indesejada. E pior: pode acontecer pelo simples esquecimento de um boleto.

Mas é também comum que ocorra por não haver planejamento financeiro ou uma reserva de emergência para usar em situações inesperadas, o que nos obriga a deixar de honrar com os compromissos financeiros. 

Aí, já viu, né? Um boleto sem pagar aqui, outro ali e, de repente, as dívidas se acumulam numa bola de neve. E, entre os problemas imediatos, o CPF acaba registrado nos órgãos de proteção ao crédito como Serasa, SPC e Boa Vista

Só que, além desses problemas, fica a dúvida também a respeito do histórico de quem já teve o nome sujo alguma vez. Afinal de contas, é possível fazer um financiamento mesmo após ter liquidado dívidas antigas? Saiba aqui!

Quais são as consequências de ter o nome sujo?

O devedor com nome negativado terá como principal consequência a restrição de crédito, o que significa que haverá dificuldade e até impedimento para:

  • abrir uma conta bancária;
  • pedir um cartão de crédito;
  • fazer um empréstimo;
  • conseguir um financiamento de veículo ou de imóvel;
  • em casos mais graves, até ter pedido negado em solicitações de serviços básicos, como internet e telefone. 
consulte seu cpf e negocie sua dívida

O nome fica marcado mesmo após a situação ter sido normalizada?

Mas, afinal, “se já paguei as dívidas e limpei meu nome, consigo fazer um financiamento ou ainda terei o crédito negado?”

A resposta é: depende. Financiamentos funcionam como empréstimos. Uma pessoa que não pode ou não quer pagar à vista busca uma instituição credora. Enquanto no empréstimo o dinheiro vai para a mão do cliente, no financiamento, irá diretamente para o vendedor do bem desejado pelo cliente.

Esse, por sua vez, tem que devolver o valor somado aos juros e de maneira parcelada para a instituição bancária. 

Em tese, são cinco dias úteis para que o nome do devedor seja retirado dos órgãos de proteção ao crédito após a regularização de uma dívida que resultou nessa negativação. A partir desse prazo, o consumidor pode voltar a solicitar um financiamento imobiliário, de veículo ou qualquer outro bem ou serviço.

Mas isso não significa que as instituições bancárias voltarão a conceder esse benefício ao ex-devedor. Na verdade, elas irão avaliar o perfil desse cliente para tomar a decisão. 

Qual é a importância do histórico financeiro?

No sistema de crédito brasileiro, pessoas que têm suas contas pagas em dia acumulam pontos que o definem como bom pagador: é o chamado score de crédito, uma classificação que varia de 0 a 1000. 

Quanto mais alto o score de uma pessoa, maior o seu crédito para empréstimos, financiamentos e compras parceladas. Por outro lado, ter o nome sujo e perder momentaneamente o acesso ao crédito reduz o score. Para as instituições de crédito, quanto mais alto o score, menor a chance de o cliente deixar de arcar com o compromisso assumido. 

Então, mesmo após limpar o nome na praça, algumas instituições se negam a dar crédito a algumas pessoas, seja para fazer um cartão de crédito ou pegar um financiamento. 



Mas atenção! Cuidado com a pegadinha e com os juros abusivos.

Algumas instituições financeiras menores até oferecem financiamentos para esse perfil de cliente, mas contam com juros bem mais altos do que os grandes bancos. Afinal, a justificativa é que eles precisam de uma garantia maior. 

Por isso, pegar um financiamento a juros abusivos pode aumentar o problema do consumidor e resultar novamente na negativação do nome. “É cilada, Bino!”

O que os bancos avaliam para conceder ou não financiamento pra quem tem nome sujo?

Veja, a seguir, os critérios mais aplicados pelas instituições financeiras para decidir se uma solicitação de empréstimo é aceita ou recusada:

  • score de crédito: essa classificação é feita pelo Serasa e varia de 0 a 1.000. Uma pontuação alta indica que são grandes as chances do cidadão pagar as contas sem atrasos nos próximos 12 meses;
  • SCR do Banco Central dos últimos 24 meses: conforme informa o próprio Banco Central (BC), o Sistema de Informações de Crédito (SCR) é um banco de dados com informações sobre operações de crédito e garantias contratadas por clientes com bancos e demais instituições autorizadas a funcionar pelo BC;
  • renda e capacidade de pagamento: em geral, o comprometimento da renda de uma pessoa não pode ser maior que 30%. Logo, ter uma renda muito baixa ou já comprometida pode ser um impedimento para conseguir um financiamento;
  • dívidas antigas: quanto mais recente tiver sido o problema de negativação, menor a possibilidade de conseguir o crédito de financiamento;
  • relacionamento com a instituição financeira onde irá fazer a solicitação: instituições bancárias valorizam seus clientes com bom relacionamento em longo prazo. Caso tenha interesse em fazer um financiamento no futuro, escolha um banco com boa taxa de juros, faça uma conta e, assim como no casamento, mantenha um relacionamento duradouro e fiel;
  • valor do patrimônio individual: ter patrimônio em nome próprio é uma garantia de que, em último caso, esse bem poderá ser utilizado para pagamento.

Como cultivar a sua imagem de bom pagador?

Em alguns casos, essas pessoas podem ajuizar uma ação e questionar o crédito negado. Mas, o ideal mesmo é aumentar o score de crédito se mostrando como um bom pagador. Confira algumas dicas de como fazer isso:

  • atualize seus dados cadastrais nas agências de crédito (Serasa, SPC e Boa Vista) e nos Bancos. Isso significa que você é uma pessoa acessível e que está disponível para ser encontrada e localizada, se necessário;
  • faça o cadastro no Serasa Consumidor. Esse cadastro permite ao usuário receber notificações sempre que algum pagamento ficar em aberto, além de facilitar a regularização;
  • movimente sua conta e realize constantemente transações financeiras. Ter contas como água, luz, telefone e internet em sua titularidade, assim como registrar seu CPF nas notas fiscais, principalmente em compras à vista, ajudará na classificação de bom consumidor e aumentará seu score de crédito;
  • adiante os pagamentos ou pelo menos os faça no prazo certo. Nem precisa comentar sobre a importância desse item, não é mesmo?
  • Não peça cartão de crédito, empréstimos, financiamentos ou abra contas em banco sem necessidade. Para as instituições bancárias, significa que há um risco maior de você se enrolar com os compromissos financeiros e deixar algum em aberto.

Como dar o primeiro passo?

É importante entender que quando se deixa de pagar uma dívida, a empresa credora não vai enviar diretamente o nome do devedor ao Sistema de Proteção ao Crédito. Primeiro, irá passar os dados do cliente para uma empresa de cobrança, que dará um prazo para a regularização financeira. Se isso não for feito, aí, sim, o devedor terá o nome negativado com CPF e dados cadastrais inclusos nos órgãos de proteção ao crédito como inadimplente. 

É importante resolver o problema o mais rápido possível para evitar o acúmulo de juros e multas. E se você quer começar a regularizar sua situação financeira para voltar a somar pontos para seu score, aproveite para conferir o Guia Completo para Negociação de Dívidas!


Tags relacionadas

Ana Cláudia Vieira

ilustração de envelope com 1 notificação

Participe do Clube do Corre

E receba lembretes semanais sobre tudo o que impacta o seu bolso! É de graça:

    Compartilhe

    Share on facebook
    Share on whatsapp
    Share on email
    Share on linkedin
    Share on twitter
    Share on pinterest

    Você pode gostar também

    Queremos saber o que você achou!

    Deixe aqui seu comentário.