Pago Quando Puder
Empréstimo para negativado

Empréstimo pessoal para negativado: é possível fazer?

Ter o nome sujo traz diversos problemas, principalmente quando você precisa de crédito para limpar seu nome

E, dessa forma, muitas pessoas acabam se enrolando, sem saber quais recursos podem utilizar na hora de pagar as dívidas.

Um deles é o empréstimo.

Afinal, é possível fazer um empréstimo com o nome sujo?

Sim! 

Inclusive, existem linhas de financiamento feitas especialmente para pessoas negativadas. Porém, com algumas diferenças das linhas convencionais.

Os limites não costumam ser muito altos e, ao contrário, as taxas de juros são bem elevadas. Justamente porque esse é considerado um empréstimo de maior risco. 

Afinal, antes de conceder crédito para as pessoas, as instituições financeiras fazem uma busca no cadastro de pessoas negativadas, acreditando que se a pessoa não está na lista, ela tem mais chances de pagar. 

Mas, ainda assim, essas opções podem ser mais vantajosas que permanecer na sua dívida atual — com os juros aumentando e o valor total se acumulando. Por isso é importante considerar as suas opções.

Opções de empréstimo para negativado

Se você está nessa situação deve tomar alguns cuidados e conhecer bem os produtos disponíveis para o seu perfil. 

Selecionamos alguns para que você entenda como funciona.

Empréstimo tradicional

Um boa alternativa para limpar seu nome é conseguir um empréstimo com bancos e financeiras que entendam a sua situação e deem um voto de confiança.

 Afinal, não é porque você cometeu um deslize que isso será recorrente, não é verdade?

As empresas que trabalham com liberação de crédito para negativados sem o pagamento estar atrelado ao recebimento em folha, costumam cobrar taxas que variam de 10 a 21% de juros. 

Então, vale a pena pesquisar bem antes de fazer a contratação.

Porém a ideia é que este número tenha uma variação maior, com juros mais baixos. Isso porque, com a implementação automática do Cadastro Positivo, os bancos e financeiras tem agora a opção de conhecer o histórico de bom pagamento das pessoas.

Assim, caso a sua negativação seja uma exceção — ou seja, não seja algo comum para você dentro do seu histórico — você terá mais chances de conseguir um empréstimo com melhores condições.

Empréstimo consignado

Esse tipo de empréstimo oferece as melhores condições para negativados, pois as parcelas são descontadas direto do pagamento do cliente. 

Então, a empresa que empresta tem a garantia de que receberá o dinheiro todo mês.

É aí que está a vantagem: como o risco de inadimplência é menor, as taxas são mais baixas e os prazos são melhores, podendo parcelar em mais vezes do que no empréstimo tradicional, além de poder contar com limite de crédito bem maior.

E as opções para essa modalidade são 3:

1) INSS

Aposentados, pensionistas e alguns beneficiários do INSS geralmente contam com as menores taxas do mercado neste tipo de empréstimo. A média de juros varia entre 2% e 3% ao mês, e depende da política de crédito de cada financeira.

A renda máxima que pode ser comprometida é de 30 a 35% do valor recebido. O prazo para parcelamento varia entre 12 e 72 meses e também varia de acordo com a política interna da instituição financeira.

Outra facilidade nos empréstimos do INSS é que não há tanta burocracia. Pelo fato de já ser descontado do pagamento, o cadastro é mais simples, a análise de crédito também e o dinheiro cai na conta mais rapidamente.

2) FGTS

Essa é uma modalidade que está disponível desde 2018 e consiste em utilizar o FGTS — Fundo de Garantia por Tempo de Serviço — como segurança para o pagamento das parcelas.

Os trabalhadores que têm direito ao FGTS podem fazer empréstimos utilizando essa linha de crédito junto à Caixa Econômica Federal, que é a administradora do fundo, com juros que podem chegar a 3,5% ao mês.

O limite de crédito não pode ultrapassar 30% do salário e o parcelamento pode ser feito em, no máximo, 48 vezes

3) Desconto em folha

Outra espécie de empréstimo consignado é o desconto em folha para servidores públicos. Como o pagamento do servidor público é mais estável e ele tem poucas chances de ser mandado embora, a segurança para fazer empréstimos é maior.

A parcela, assim como o dos aposentados e pensionistas, é descontado diretamente do pagamento mensal. As taxas e demais condições de parcelamento também estão entre as melhores do mercado.

Empréstimo com bens como garantia — automóvel ou imóvel

Essa também é uma alternativa de garantia de pagamento, apesar de pouco utilizada. Um dos principais motivos é que o imóvel ou automóvel precisa estar quitado para ser penhorado.

Esse é um tipo de empréstimo que envolvem muitos riscos e deve ser muito bem planejado, ainda mais do que nos casos anteriores, pois envolvem outros bens essenciais, como a própria casa. Além disso, a aprovação passa por uma avaliação bastante criteriosa pelo banco.

No caso de imóveis, o bem só poderá ser alienado em apenas um empréstimo e o valor não pode ultrapassar 60% do valor do imóvel. Além disso, o local passa por avaliação física e jurídica, envolvendo profissionais habilitados.

Já em casos de automóveis como garantia para realizar empréstimos, veículos com mais de 15 anos de fabricação geralmente não são aceitos e os mais novos têm acesso às melhores condições de juros e de pagamento. 

Assim como os imóveis, os veículos também passam por vistoria e análise de crédito mais detalhada, de acordo com as políticas de cada instituição financeira.

Empréstimos podem ser uma boa opção para quitar suas dívidas

Muitas vezes, vale mais a pena fazer um empréstimo com condições melhores e pagar suas dívidas do que ficar com o nome sujo.

Ressaltamos que as condições da sua dívida atual devem ser consideradas, como tempo que já está devendo, o tipo de dívida e os juros envolvidos. O cheque especial, por exemplo, costuma ter juros bem maiores e, por conta disso, sai mais caro do que fazer um empréstimo.

E dessa forma, você pode fazer as contas se baseando em:

  • O valor da sua dívida;
  • O acúmulo de juros que ela já tem;
  • As condições do empréstimo;
  • O valor da parcela do empréstimo;
  • O valor total do empréstimo x o valor total da sua dívida.

Lembre-se que um nome sujo pode te impedir de várias coisas, como alugar um imóvel ou abrir uma conta no banco. Porém, se você não conseguir arcar com as parcelas, será ainda mais difícil limpar o seu nome.

Como entender se eu preciso de um empréstimo?

Antes de fazer qualquer contração financeira, tudo deve ser muito bem analisado e nesse caso, o cuidado é dobrado. 

Você pode avaliar se realmente é necessário fazer a dívida respondendo às perguntas abaixo:

Para que eu vou usar o dinheiro?

O dinheiro será:

  1. Para pagar dívidas, contas atrasadas, limpar meu nome? 
  2. Para realizar um grande sonho? 
  3. Para compras supérfluas (ou seja, sem urgência ou sem necessidade eminente)?

Seja honesto consigo mesmo e só arrisque se tiver totalmente ciente do que está fazendo. Porque se ele é a sua única opção de não ficar completamente sem dinheiro, é óbvio que o empréstimo é uma boa opção.

Mas, se você pretende usar o dinheiro para coisas não urgentes, é melhor primeiro pagar as dívidas e tirar o nome do SPC ou Serasa, e só depois fazer novos planos.

Onde eu vou pegar o empréstimo?

Assim como comprar qualquer outra coisa, empréstimos também devem ser feitos só após muita pesquisa e comparação.

Existem plataformas como o Serasa eCred que ajudam a pesquisar as melhores financeiras, assim como taxas e condições atrativas.

Conseguirei arcar com as parcelas?

Faça o empréstimo apenas se tiver convicção de que as parcelas caberão no seu bolso, junto das outras contas que você recebe todos os meses. Coloque na lista conta essenciais como as de água, luz, telefone e alimentação.

Anote se tem outros empréstimos a vencer, pois em parcelamentos muito longos, é muito comum as pessoas esquecerem de algum dos valores, especialmente se ele estiver sendo debitado automaticamente.

Além disso, faça um controle dos seus gastos, entenda qual a porcentagem de juros contratada e não use mais do que ⅓ da sua renda para pagamento.

Essa é a melhor saída?

Após analisar toda a sua situação atual, veja se essa é realmente a melhor alternativa no momento e se você não tem nenhuma outra fonte para recorrer que não precise arcar com juros e parcelamentos longos. 

Desconfie de soluções milagrosas

Sabe aquele ditado que diz que “quando a esmola é demais, o santo desconfia?”

Essa é a principal regra em meio a tudo isso que estamos falando. 

Primeiro porque muitas empresas não autorizadas ou com aquelas famosas “letras miúdas” estão disponíveis no mercado e podem representar riscos para você.

Por isso, sempre que for pesquisar empresas, confirme os dados delas no site da Receita Federal (usando o CNPJ) e no site do Serasa Você Consulta.

A nossa opinião sobre empréstimos para negativados

Sabemos que empréstimos, serviços financeiros e juros são assuntos complicados e por isso, ressaltamos a necessidade de estar bem consciente da sua escolha. 

Vai limpar o seu nome? Se organizou pra pagar? Ótimo! Pode ser uma excelente opção.

Fora isso, se puder optar por quitar a dívida primeiro e depois considerar suas opções de crédito, melhor ainda! E acima de tudo, pense em um valor que realmente faz sentido para você e no seu orçamento, sem exageros!

Aline Oliveira

Jornalista formada pelo UniBH, com especialização em Marketing Digital. Adora conversar sobre economia, finanças, investimentos, empreendedorismo e carreira.

1 comentário

Dá aquele like!

Curta nossas páginas nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades do Pago Quando Puder!

Receba as novidades!