fbpx
Pago Quando Puder
empreendedores-de-sucesso

A História De 10 Empreendedores Que Começaram Do Zero

A história está repleta de grandes empreendedores que construíram impérios no mundo dos negócios, mesmo quando as circunstâncias pareciam totalmente desfavoráveis, como Steve Jobs, nos Estados Unidos, ou Silvio Santos, no Brasil.

Sair do zero e começar um negócio pode parecer ser impossível, principalmente quando o que nos motiva a empreender é a necessidade e não a oportunidade. 

10 empreendedores que começaram do zero

Por isso, hoje queremos lhe contar a história de 10 empreendedores que começaram do zero e mostram que é possível conseguir lidar com os desafios e ter sucesso nos negócios.

Vamos lá?

João José Azevedo, o Coco

Aos 16 anos, ainda na década de 1970, João José Azevedo, conhecido como Coco, vendia bijuterias em sua cidade natal, no interior da Bahia. Os produtos eram todos feitos de miçangas, penas e coco, tudo de forma artesanal.

Logo João percebeu que esse tipo de bijuteria fazia sucesso e resolveu apostar todas as suas fichas nesse empreendimento.

Azevedo começou vendendo na rua, mas com a ajuda de um programa da prefeitura de Ilhéus, na Bahia, que bancava o aluguel do seu quiosque, João pôde aumentar os investimentos em seu negócio.

Anos depois, o empreendedor fundou a ArtCoco e expandiu a empresa aos poucos. Hoje, já são 12 unidades e um faturamento de cerca de R$ 10 milhões por ano.

O que a história dele nos leva a pensar é: talvez você tenha uma habilidade por aí prontinha para ser explorada. Mesmo que comece aos poucos, a oportunidade de crescer vai aparecer!

Larissa Souza, dona da Snack Saudáveis

Todos os dias, a assistente social Larissa Souza preparava o lanche que sua filha levava para a escola: uma fruta, um suco natural e alimentos caseiros. Tudo para manter uma alimentação saudável.

Um dia, em visita à escola, Larissa percebeu que as colegas da filha levavam para o lanche apenas produtos industrializados. Foi aí que teve a ideia: vender lanches mais saudáveis aos pais dos alunos.

Larissa levou a sugestão para uma reunião de pais, que compraram a ideia e se tornaram seus primeiros clientes. O desafio, além de conseguir conciliar seus dois empregos com a nova função, era fazer com que as crianças comessem os alimentos. 

A empreendedora, então, investiu os R$ 3 mil que tinha guardado no produto, criando embalagens criativas, com canudos artísticos e materiais lúdicos para chamar a atenção da criançada. Assim nasceu a Snack Saudável.

Em 2017, Larissa transformou a empresa em franquia, e hoje está presente em 8 estados do Brasil. Até agora, já faturou mais de R$ 1 milhão, e ela planeja continuar expandindo os negócios nos próximos anos.

A história da Larissa nos faz pensar que: as oportunidades para empreender estão ao nosso redor. A todo tempo as pessoas estão com necessidades e desejos não atendidos (no caso, dar uma alimentação mais saudável aos filhos). Por isso, é bom estar atento às possibilidades!

José Carlos Semenzato, fundador da Microlins

De vendedor de salgadinhos a fundador de uma das maiores empresas de cursos profissionalizantes do Brasil, José Carlos Semenzato é dono de uma história capaz de inspirar muitos aspirantes a empreendedores.

Filho de um mestre de obras e de uma dona de casa, Semenzato deu ouvidos ao seu lado empreendedor e decidiu, aos 23 anos, largar o emprego de programador em uma construtora para investir suas economias na primeira unidade da Microlins, inicialmente com foco em cursos de informática.

Anos depois, decidiu ofertar outros cursos profissionalizantes em sua rede, que já havia se tornado uma franquia e estava presente em praticamente todos os estados brasileiros.

A história do José nos leva a pensar que: em alguns casos, arriscar é a melhor escolha que podemos fazer na vida.

Antonio Alberto Saraiva, fundador do Habib’s

Antonio Alberto Saraiva era estudante de Medicina quando precisou assumir a padaria da família após a morte de seu pai. Em 16 meses, Antonio tirou a empresa da quase falência e conseguiu, inclusive, vendê-la. 

Anos depois, chegou a criar mais quatro empresas e, mesmo com sucesso nos negócios, também decidiu vendê-las.

Mas o empreendimento mais famoso de Antonio só foi criado em 1988, quando Paulo Abud, com 70 anos à época, ofereceu seus serviços especializados na cozinha árabe ao empresário. Com uma estratégia de vender os produtos a preço baixo, em quatro anos a rede já contava com 16 lojas. 

Nos anos seguintes, o fundador da Habib’s decidiu transformar a rede em uma franquia, que já possui mais de 300 unidades por todo o país.

O Antônio nos lembra que: o fracasso faz parte da jornada e deve ser olhado como oportunidade de aprendizado.

Flávio Augusto, fundador da Wise Up

Nem sempre ter um espeto de pau na casa de um ferreiro é um problema. Pelo menos, não para Flávio Augusto, que criou a escola de inglês Wise Up sem nem saber falar em inglês.

Flávio aproveitou sua experiência em venda de cursos de inglês em outra escola que trabalhou na juventude, pediu um empréstimo e abriu sua escola de inglês, a Wise Up. Em um ano, a instituição já contava com mais de mil alunos matriculados.

O Flávio nos lembra que é importante ter coragem e a famosa “cara de pau” – no bom sentido, claro! 

Luiza Trajano, a Lu da Magalu

Fundadora da Magazine Luiza, Luiza Trajano é dona de uma história de empreendedorismo brilhante. Desde os 12 anos, aproveitava as férias para cuidar da loja de seus tios, em Franca, em São Paulo. 

Em 1991, Luiza assumiu a empresa dos tios e focou em inovação e em relacionamento com o cliente como estratégias para se tornar competitiva no mercado.

Apesar disso, a empresa passou por problemas sérios há alguns anos, quando a empreendedora apostou em tecnologia para mudar o rumo de sua história. Hoje, além das 700 lojas físicas, é referência no e-commerce brasileiro, fazendo de Luiza uma das executivas mais poderosas do país.

Luiza nos lembra de que as dificuldades são, na verdade, boas oportunidades para fazer diferente e conseguir resultados melhores.

Samuel Klein, fundador das Casas Bahia

Outra grande varejista brasileira, a Casas Bahia é resultado da história de coragem e muita vontade de vencer de Samuel Klein. Ele começou vendendo roupa de cama, mesa e banho de porta em porta quando chegou ao Brasil, após fugir de um campo de concentração nazista aos 21 anos.

Klein sempre acreditou que valorizar o ser humano era a única forma de obter sucesso em seu negócio. Por isso, quando um cliente não podia pagar à vista, oferecia a opção de parcelar em crediário. Esse sistema se tornou o motor do sucesso das Casas Bahia anos depois.

Em 1952, abriu sua primeira loja, em São Caetano do Sul (SP). O nome “Casas Bahia” foi uma homenagem a imigrantes nordestinos, que na época eram os principais clientes da empresa. A empresa hoje faz parte do grupo Via Varejo, que chegou a pertencer ao grupo Pão de Açúcar, mas voltou às mãos da família Klein em 2019.

Samuel nos faz lembrar que, para empreender, entender as necessidades dos nossos clientes para se adaptar é fundamental.

José Janguiê Bezerra Diniz, dono da SER Educacional

E se de engraxate você se tornasse fundador de uma das maiores redes de ensino do seu país? Essa é a história de sucesso de José Janguiê Bezerra Diniz, que também chegou a vender suco de laranja e picolé para ajudar a família.

Mas José Diniz tinha um foco: estudar e sair da pobreza. Assim, resolveu estudar Direito na Universidade Federal do Pernambuco (UFPE) e chegou a criar uma empresa de cobrança, mas foi à falência em pouco tempo. 

Por isso, decidiu prestar concurso para ser juiz, mas deixou a carreira de lado quando abriu, em 1994, seu primeiro empreendimento educacional com foco em cursos preparatórios para concursos públicos. 

Nascia a empresa que viria a se tornar a SER Educacional.

O foco em cursos de graduação, pós-graduação e ensino técnico para alunos de média e baixa renda só veio em 2003, o que fez o negócio alavancar seus resultados.

José dá a dica pra gente: mesmo que a sua realidade seja complicada hoje, sempre existirão oportunidades para tentar!

Jan Koum, criador do WhatsApp

Já imaginou sua vida sem WhatsApp hoje? Mas você sabia que ele foi criado por alguém que começou do zero?

Jan Koum nasceu na Ucrânia e se mudou para os Estados Unidos fugindo da instabilidade política de seu país-natal. Seu primeiro computador foi comprado aos 19 anos com dinheiro de seu primeiro trabalho como limpador de chão de uma loja.

Antes de criar o Whatsapp, Koum trabalhou no Yahoo!, onde conheceu seu futuro sócio. A criação do WhatsApp aconteceu em 2009, para poder se comunicar com amigos e parentes enquanto estava na academia que frequentava e onde ligações telefônicas eram proibidas. 

Mesmo sendo um aplicativo sem praticamente nenhuma geração de receita, ele foi vendido para o Facebook em 2014 por US$ 16 bilhões.

Baita jogada do Jan Koum, né?

J. K. Rowling, escritora da série Harry Potter

Desempregada, divorciada, com uma filha pequena para cuidar, J. K. Rolling sabia que queria ser escritora desde criança. O primeiro livro da série Harry Potter foi escrito nesse momento de sua vida, mas foi rejeitado por 12 editoras.

Só em 1996 a autora recebeu uma oferta da editora Bloomsbury e publicou “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, o primeiro da série. O sucesso foi estrondoso. Todos os livros ficaram entre os mais vendidos em vários países e a autora se tornou uma das mulheres mais ricas do Reino Unido.

J. K. Rowling nos lembra que a nossa melhor chance pode estar nos sonhos que alimentamos desde a infância e, às vezes, demoramos para dar atenção a eles!

O que você achou dessas histórias? Conhece alguma história incrível que não estava aqui? Deixe-a nos comentários!

Avatar

Kleiton Reis

Kleiton Reis é jornalista e apaixonado por marketing, finanças e por ensinar. Acredita que pequenas ações geram grandes resultados e que as mudanças devem começar dentro de cada um antes de tomar o mundo.

Deixe aqui o seu comentário

Dá aquele like!

Curta nossas páginas nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades do Pago Quando Puder!

Receba as novidades!