fbpx
Pago Quando Puder
consorcio-de-veiculo

Consórcio de Veículo: Como Funciona?

Ter um carro ou uma moto é algo que muitos desejam ou precisam. O investimento, porém, é alto e dar conta dessa responsabilidade pode ser um desafio, se for feita sem o devido planejamento financeiro. 

Nessa situação, o consórcio de veículos, seja de carro ou de moto, é uma de suas alternativas. 

Quer saber mais sobre o assunto? Siga em frente e boa leitura!

O que é e como funciona um consórcio?

O consórcio é uma modalidade de compra a longo prazo em que duas ou mais pessoas se juntam para formar uma poupança comum para a aquisição de um bem. No caso daqueles que participam de um consórcio de carro ou de moto, o objetivo de todos é a compra de um veículo.

Para entender como funciona o consórcio, considere o seguinte: você e outros interessados ― chamados de consorciados ou cotistas ― procuram uma administradora à qual pagam, mensalmente, uma parcela para a formação da poupança conjunta.

Cada um escolhe o valor das parcelas com base em seu orçamento, e também define o tempo máximo em que deseja comprar seu bem. Ou seja: o tempo de duração do contrato.

Tal poupança será usada para que cada um dos cotistas tenha dinheiro suficiente para comprar seu carro ou moto em um determinado momento. A cada mês, um ou mais cotistas são sorteados para receber a quantia de que precisam para comprar seu veículo.

À medida que são sorteados, os cotistas permanecem com a contribuição mensal do consórcio para que os outros participantes também tenham acesso à carta de crédito.

Com base nas regras do contrato firmado com a administradora, todos os cotistas devem ser contemplados até o fim do seu contrato, seja por sorteio, por ter dado um lance ou por ter quitado todas as parcelas.

É interessante saber que, como os pagamentos são feitos à administradora, quem é sorteado não recebe o dinheiro, literalmente, em sua conta. O cotista que vence o sorteio recebe uma carta de crédito e deve procurar a administradora do consórcio para que faça a compra do veículo.

O consórcio, além de contar com o intermédio de uma empresa especializada (a administradora), é fiscalizado e segue normas estabelecidas pelo Banco Central do Brasil.

Contemplação por sorteio ou lance

Um ponto importante sobre o funcionamento de um consórcio é saber que o cotista tem a opção de dar um lance para não depender somente do sorteio.

Um consórcio de carro ou moto pode durar vários anos ― algo que você precisa avaliar antes de fechar contrato ― e, com isso, pode demorar até que você vença o sorteio. É realmente uma questão de sorte.

Caso você tenha urgência em comprar seu veículo, é possível  dar um lance com a intenção de adquirir, naquele mês, a carta de crédito. É como um leilão, e o cotista que oferece o valor mais alto, recebe a carta de crédito para comprar seu carro ou moto. 

Caso contrário, você deverá esperar até o fim do contrato ou contar apenas com a sorte de ser sorteado.

Como você pode imaginar, o valor do lance é superior ao da parcela mensal do consórcio. Por isso, o vencedor tem direito a  abater o valor das parcelas restantes conforme as regras estabelecidas pela administradora.

Como entrar em um consórcio de carro ou moto?

Para entrar em um consórcio, você precisa procurar uma administradora e, para isso, deve pesquisar entre as empresas do mercado e optar por aquela que apresenta as melhores condições.

Não deixe de procurar saber, no site do Banco Central e Reclame Aqui, qual a reputação das gestoras de consórcios. Infelizmente, apesar da regulação do setor, ainda existem golpes de consórcio.

Uma vez que a administradora for escolhida, você tem duas opções: 1. entrar em um grupo em formação ou; 2. comprar cota de um grupo já formado. Entenda:

  1. Grupos em formação ainda não estão fechados e, portanto, não começaram a “funcionar”. Isso significa que a administradora ainda está reunindo cotistas para dar o início às operações.
  2. Grupos já formados estão em funcionamento com mensalidades já sendo pagas e sorteios acontecendo mensalmente. Nesse cenário, você pode:
  1. comprar uma cota vaga disponibilizada pela administradora ― se o grupo deveria ter 50 cotistas, mas tem apenas 48, há duas cotas vagas para serem preenchidas;
  2. comprar uma cota de transferência diretamente com um cotista que deseja deixar o consórcio, assumindo as responsabilidades pelo contrato firmado.

O que você precisa saber sobre a compra de uma cota é que você pode precisar pagar um valor considerável por ela, que corresponde às mensalidades já cobradas do grupo antes de sua entrada.

Cuidados importantes antes de entrar em um consórcio de veículo

Antes de entrar em um consórcio de carro ou de moto, você precisa saber alguns detalhes sobre essa modalidade de compra.

Avalie bem as despesas

Consórcio não tem juros, mas tem taxa de administração. Uma quantia que, em geral, varia em torno de 14 a 20% do valor total pago. Por isso, busque pelas menores taxas.

Saiba que, em razão das taxas, ao final do contrato você terá pago um valor razoavelmente maior do que o preço do veículo. A situação é comumente comparada a um financiamento e convém fazer os cálculos para descobrir o que é mais vantajoso.

Em geral, as taxas do consórcio de carro ou moto são menores do que os juros pagos em financiamento, mas isso não é regra. A dica é simular o consórcio e o financiamento considerando os prazos e taxas de cada um.

Além disso, caso seja sorteado ou dê um lance vencedor e compre seu veículo, em caso de roubo, vai precisar seguir pagando as mensalidades. Por essa razão, planeje a contratação de um seguro para o carro ou moto.

Por fim, saiba que em muitas das vezes o consórcio é atrelado ao valor do veículo que se deseja comprar. Ao longo do período de duração do contrato, se o carro ou moto aumentar de preço, as mensalidades também vão aumentar.

Lembre-se de que consórcio é longo prazo

Se você deseja comprar seu veículo rapidamente, o consórcio de carro ou moto não é indicado porque, como dito, o contrato tem duração longa e você pode conquistar sua carta de crédito só após o pagamento da última mensalidade. 

Caso você precise do veículo em pouco tempo, você precisará estar preparado para dar um bom lance. Mas, ainda assim, fica sujeito à possibilidade de algum outro consorciado dar um lance maior que o seu.

Por isso, se você tiver uma boa quantia em dinheiro em mãos, faça simulações para entender se vale a pena juntar um pouco mais para fazer o pagamento à vista (melhor formato), dar uma boa entrada no financiamento ou se economizará mais dando o lance no consórcio. 

Sem preguiça, hein? É o seu dinheiro que está em jogo e você pode economizar muito dinheiro ao fazer essa pesquisa.

Saiba o que acontece em caso de atraso ou desistência

O consórcio de carro ou moto é uma opção interessante para quem tem dificuldade de se planejar financeiramente por conta própria, e ter disciplina para juntar dinheiro. Ainda assim, apertos podem acontecer e provocar atrasos no pagamento das mensalidades.

Se você atrasar pagamentos antes de ser sorteado, vai precisar pagar o valor devido com multas e juros. Por isso, é importante definir uma mensalidade e data de vencimento que seja adequada às suas condições.

Se atrasar a mensalidade depois de ser sorteado, saiba que a administradora pode acionar a justiça para recolher seu veículo como garantia.

Caso você queira ou precise desistir do consórcio, só vai poder resgatar o valor investido ao final do contrato. A desistência, inclusive, é permitida, mas implica o pagamento de uma multa.

Sabendo disso, você tem como alternativa reduzir o valor da sua carta de crédito (o valor total a ser recebido para a compra do veículo) e, consequentemente, das parcelas. 

Outra possibilidade é a transferência integral de sua cota para outra pessoa, cobrando dela um valor adequado pelas parcelas já pagas por você.

Conclusão

Para muita gente, um consórcio parece o único caminho para ter um veículo. Em muitas das vezes, essa modalidade de compra é mesmo vantajosa, mas é importante analisar condições e contratos cuidadosamente e fazer comparações.

Considerando as taxas, reajustes, e alguns encargos adicionais, você pode acabar pagando muito mais do que precisava para comprar seu veículo! 

Muita gente diz que o consórcio é um “suicídio financeiro” justamente por isso: são tantas taxas, encargos e reajustes que não estão sob seu controle, que você pode começar pagando um valor que cabe no seu bolso e, pouco tempo depois, ter parcelas que estão completamente fora do orçamento.

O consórcio de carro ou moto favorece o planejamento financeiro para uma compra grande porque leva o cotista a se comprometer com as mensalidades. Ainda assim, é necessário avaliar sua condição financeira para assumir uma responsabilidade adequada às suas possibilidades e evitar multas e prejuízos.

Achou este post útil e gosta de acompanhar as publicações do blog? Assine nossa newsletter e receba novos conteúdos diretamente em seu e-mail!

Larissa Reis

Larissa Reis

Deixa que eu escrevo! Como jornalista, sempre acreditei no poder da comunicação bem feita para compartilhar informações relevantes, e é para isso que produzo conteúdo!

Deixe aqui o seu comentário

Dá aquele like!

Curta nossas páginas nas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades do Pago Quando Puder!

Receba as novidades!